Tour de Michelangelo

A cidade de Florença é quase sinônimo de Michelangelo, este grande artista que mudou os rumos da história da arte. Criamos um tour para conhecer suas principais obras presentes na cidade, e descobrir com o nosso guia como Michelangelo trabalhava o mármore, conhecer episódios de sua conturbada vida, e os segredos da escultura do maior escultor de todos os tempos.

A visita começa pelas Capelas dos Médicis que fazem parte do complexo da Basílica de São Lourenço, a preferida da família Médicis, senhores da cidade por mais de três séculos, que haviam o seu palácio principal, hoje Medici-Riccardi, a poucos metros de distância. As Capelas dos Médicis incluem a Capela dos Príncipes, a Sacristia Nova e a Cripta.

Na Capela dos Príncipes encontram-se os monumentos funebres dos grão-duques da Toscana, ou seja, os governantes da família Médicis. É um grande salão decorado ricamente com mármores italianos e estrangeiros. A Capela barroca era conhecida antigamente como a oitava maravilha do mundo.

A visita continua na Sacristia Nova (Sagrestia Nuova), assim chamada para diferenciá-la da Sacristia Velha (Vecchia), projetada pelo arquiteto Brunelleschi. Foi encomendada pelos Papas Médicis, primeiro pelo Papa Leone X, e depois pelo primo dele, Papa Clemente VII, para sepultar os primeiros membros da família que receberam o título de "duques".

O artista escolhido foi Michelangelo, que já com seus 40 anos era conhecido internacionalmente, e é seu o projeto arquitetônico desta capela, assim como as esculturas dos grão-duques que saíram de suas próprias mãos. Esta Capela é uma obra prima completa deste nosso grande artista.

Saíndo do complexo de São Lourenço, passamos ao lado da antiga residência dos Medicis, o Palazzo Medici-Riccardi, em direção à Galeria da Academia, onde se encontra a escultura original mais famosa da cidade, o David de Michelângelo, símbolo da beleza do Renascimento. Esta obra de arte é considerada o ápice da perfeição (da arte) na escultura renascentista e nela temos bem visível a expressão da “terribilidade” de Michelangelo. Esculpida pelo artista aos seus 26 anos, foi executada durante longos 3 anos, a partir de um bloco de mármore de Carrara no qual nenhum outro artista teve capacidade de trabalhar. 

No espaço interno da Accademia podemos admirar também os quatro “prisioneiros”, igualmente realizados por Miguelângelo. Estas esculturas que parecem “lutar” para se liberar da pedra, são excelentes exemplos da técnica genial e muito peculiar do artista, que consistia em tirar do bloco de pedra o excesso de matéria, considerada supérflua, em busca da escultura já existente naquele pedaço de mármore. Estas esculturas eram destinadas para o túmulo do papa Júlio II della Rovere, mas ficaram inacabados. Aqui se encontra igualmente o São Mateus e uma das 4 Pietás feitas por ele, a Pietá de Palestrina, que chegou a Florença no ano 1940.





Pedido de Informação